Tecnologias digitais no trabalho pedagógico com pessoas que possuem baixa visão: revisão sistemática da literatura

Conteúdo do artigo principal

Vania Bertolot Oliveira dos Santos
Paulo Victor Rodrigues de Carvalho
Alessandro Jatobá
Ana Paula Legey de Siqueira
Antônio Carlos de Abreu Mól

Resumo

O presente ensaio traz uma revisão sistemática da literatura acerca de como as tecnologias têm sido utilizadas para o trabalho pedagógico de pessoas com baixa visão. Para isso, foi preenchido um protocolo de planejamento, pré-estabelecendo ações para condução da revisão, seguidas da análise dos resultados. Após a seleção minuciosa em bases científicas, com a formação de strings de busca à luz de um estudo exploratório inicial, obteve-se como resultado 20 estudos no campo das tecnologias aplicadas à baixa visão, sendo um total de: 1 (Deficiência Visual e Tecnologia Assistiva); 3 (Deficiência Visual e Jogos Digitais); 11 (Baixa Visão e Tecnologia Assistiva); 3 (Baixa Visão e Jogos Digitais); 2 (DUA Jogos Digitais). Esses valores refletem, portanto, o quanto ainda se pode caminhar com relação aos estudos sobre a baixa visão atrelada às tecnologias digitais. Com recorte para o uso de jogos digitais, observa-se que há uma restrição ainda maior de pesquisas na área e necessidade de desenvolvimento do assuntoO presente ensaio traz uma revisão sistemática da literatura acerca de como as tecnologias tem sido utilizadas para o trabalho pedagógico de pessoas com baixa visão. Para isso, foi preenchido um protocolo de planejamento, pré-estabelecendo ações para condução da revisão, seguidas da análise dos resultados. Após a seleção minuciosa em bases científicas, com a formação de strings de busca à luz de um estudo exploratório inicial, obteve-se como resultado 20 estudos no campo das tecnologias aplicadas à Baixa Visão, sendo um total de: 1 (Deficiência Visual e Tecnologia Assistiva); 3 (Deficiência Visual e Jogos Digitais); 11 (Baixa Visão e Tecnologia Assistiva); 3 (Baixa Visão e Jogos Digitais); 2 (DUA Jogos Digitais). Esses valores refletem, portanto, o quanto ainda se pode caminhar com relação aos estudos sobre a Baixa Visão atrelada às tecnologias digitais e, com recorte para o uso de Jogos Digitais, observa-se que há uma restrição ainda maior de pesquisas na área e necessidade de desenvolvimento do assunto.

Detalhes do artigo

Seção
Artigos