Por um currículo de desataduras: o movimento como potência de saber

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Lucas de Oliveira Carvalho
Anthony Fábio Torres Santana
Dinamara Garcia Feldens

Resumo

Este artigo problematiza a possibilidade de criação de um currículo que oportunize a experiência e a singularidade. Assim, faz uma incursão pelas principais teorias curriculares que, junto a diferentes questões políticas, sociais e econômicas, atuaram historicamente dentro de certo jogo de forças, fazendo sobressair alguns modelos. Nesse sentido, recorre ao conceito de rostidade, do autor francês Deleuze, buscando evidenciar como esses padrões se instituem e como dentro deles pode-se encontrar oportunidades de desfeituras, de movimentos capazes de criar o que denominamos desataduras nas rostificações dos currículos. Trata-se de um estudo qualitativo, que tem como aporte metodológico a pesquisa bibliográfica. Portanto, apresenta como resultado a opção viável de um currículo, que, ao se comprometer com as múltiplas questões culturais do presente, não sucumbe aos modelos já ultrapassados. 

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Lucas de Oliveira Carvalho, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (PPGED/UFS-SE). Bolsista CAPES. Graduado em história pela Universidade Tiradentes (2010), possui especialização em Ensino de História: Novas Abordagens pela Faculdade São Luis de França(2011), onde trabalhei com história africana e afro brasileira dentro dos livros didáticos e outros temas referentes à área . Atualmente membro participante do Grupo de Pesquisa em Educação, Cultura e Subjetividades ( GPECS/UFS/CNPq) coordenado pela Profa. Dra. Dinamara Garcia Feldens da Universidade Federal de Sergipe - UFS, colaborando com os debates e projetos desenvolvidos pelo grupo. Tem interesse pelas seguintes áreas: História, Filosofia, Educação, Sociologia, Antropologia.

Anthony Fábio Torres Santana, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

Pós - Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS). Doutor em Educação pelo mesmo programa e instituição. Mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Tiradentes (UNIT/SE). Especialista em Ensino de História pela Faculdade São Luís de França (FSLF/SE). Graduado em Licenciatura plena em História pela Universidade Tiradentes (UNIT/SE). Possui experiência de orientação e prática docente nos diversos níveis de ensino, do fundamental ao superior. Atualmente integra na condição de pesquisador o Grupo de Pesquisa Cultura, Subjetividade e Políticas de Formação (PUCRS/CNPq) e o Grupo de Pesquisa em Educação, Cultura e Subjetividades (UFS/CNPq). É Sócio da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, a ANPEd. Pesquisa e tem interesse, sobretudo, nos seguintes temas: educação, experiência e formação de professores. E-mail: afabiotorres@hotmail.com

Dinamara Garcia Feldens, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Possui licenciatura em História (1996), Mestrado e Doutorado em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS (1999 CAPES/Conceito 6) . Durante o doutorado realizou estudos e pesquisas com bolsa MTC/ CNPq na Universidade da Sorbonné - Paris V, França, na área de Educação, antropologia do corpo e Filosofia. Possui pós-doutorado pela Universidade Complutense de Madrid UCM, com bolsa CNPq, na área de Filosofia da Educação, estudando o filósofo Frances Gilles Deleuze. Coordena o Grupo de Pesquisa Educação, Cultura e Subjetividade (GPECS/UFS/CNPq). É pesquisadora e professora da Universidade Federal de Sergipe e do Programa de Pós Graduação em Educação na linha de Pesquisa Conhecimento, cultura e educação. Avaliadora da CAPES na área do ensino PAEP/DPB. Desenvolve projetos científicos e de extensão vinculados ao tema poder na contemporaneidade. Atua principalmente nos temas: filosofia da diferença, epistemologia do conhecimento, estudos de gênero, poder, corpo e cultura.